segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

HORROR SHOW - uma revista que deixou saudades

No verão de 1997, eu estava passando uns dias na casa de praia de um amigo e, dando uma espiada numa banca, esbarro com uma revista que eu nunca tinha visto antes, chamada HORROR SHOW, com um vampirão na capa.



É claro que comprei o negócio na hora, pois já era um fanático por arte de horror naqueles tempos. A medida em que eu lia a revista, ficava babando: horror italiano, Stephen King, Contos da Cripta, vampiros, Alien, Christopher Lee, Vampirella, Psicose, horror no heavy metal ... parecia não existir uma coisa legal sobre terror que a revista não abordasse! Naqueles tempos em que o acesso à internet ainda era eventual e em que a rede não tinha a riqueza de fontes de informação que tem hoje, uma revista inteira voltada exclusivamente para arte de horror era, para mim, um verdadeiro tesouro!

Lembro com carinho desta primeira edição porque foi através dela que eu ouvi falar pela primeira vez do insano musical The Rocky Horror Picture Show, hoje um dos meus filmes prediletos. Foi também por causa da notícia sobre o lançamento do livro Spaguetti Nightmares que eu comecei a ir atrás de filmes de horror italianos de pesos-pesados como Dario Argento e Mario Bava.


O número 2 da revista também foi legal, trazendo na capa o então recente filme Marte Ataca. A revista trazia uma ótima matéria sobre a Kripta, publicação nacional de quadrinhos de terror dos anos 70, cujo material vinha das revistas americanas Creepy e Eerie. A revista ainda me deixou babando pelo livro O Corredor da Morte, de Stephen King, que eu leria depois e que até hoje considero um dos melhores de King.


A Horror Show nº 3 trazia na capa a gostosíssima Julie Strain, Garota do Ano da Playboy americana em 1993 e estrela de dezenas de filmes trash de terror. Também tinha uma matéria legal sobre games de computador com temática de horror, comentando alguns sucessos da época como Hell, Phantasmagoria e Shivers. A matéria sobre arte de horror em capas de discos de heavy metal apresentava algumas ilustrações inesquecíveis de álbuns do Entombed, Morgoth, Celtic Frost e Autopsy.


Infelizmente, o mercado editoral brasileiro mostrou não ter espaço para uma publicação desse tipo. Mesmo com a redução de preço a partir do número 3, a quarta edição de Horror Show foi a última da revista. Entre os destaques desse número derradeiro, está uma entrevista excelente com o roteirista R.F Luccheti (já citado várias vezes nos meus posts sobre a revista Spektro aqui na Cripta) e uma matéria sobre o célebre ator Peter Cushing, falecido em 1994. Apesar de alguns bons momentos, a revista simplesmente já não apresentava o mesmo vigor e qualidade do primeiro número, talvez já como reflexo da extinção iminente da publicação.

Horror Show foi uma grande iniciativa da Editora Escala e é realmente uma pena que não tenha dado certo no difícil mercado brasileiro, inóspito para publicações do gênero. Para os fãs de terror como eu, foi uma breve porém grata surpresa. Anos mais tarde, algo semelhante aconteceria com a interessante (porém igualmente breve) revista Cine Monstro, mas isso já é assunto para outra hora.

3 comentários:

maniaco da serra eletrica disse...

podia por pra gente fazer download ai veio faz uma cara q procuro essas edições dese ja obrigado

Anônimo disse...

Olá, se tem interesse eu estou vendendo essas e mais cripta do terror.


http://www.facebook.com/rangelweb

Helivan disse...

Cara, muito bom. Me identifiquei com cada palavra que vc escreveu,nem preciso dizer que também acompanhei cada edição desta revista, tenho todas e ainda guardo dentro de um plástico para não deteriorar. Valeu pela lembrança!