quinta-feira, 31 de março de 2011

OZZY em Porto Alegre - 30/03/2011: resenha do show



Voltei agora há pouco do show do Ozzy no Gigantinho, e foi realmente espetacular. O setlist foi excelente (embora sem surpresas em relação às previsões feitas com base nos outros show da atual turnê), a organização do show se deu sem maiores problemas, a banda de apoio é formada por instrumentistas da melhor qualidade e - mais importante de tudo - o velho Ozzy está em excelente forma, com uma performance ao vivo que não deixa a desejar em relação ao que ele fazia há vinte ou trinta anos atrás.

Primeiro, o setlist: foram cinco músicas do clássico álbum Paranoid (1970), do Black Sabbath, o que significa que Ozzy e sua banda executaram simplesmente MAIS DA METADE do disco no show. As escolhidas, que foram aparecendo em diferentes momentos do show, foram "Fairies Wear Boots", "War Pigs", "Rat Salad", "Iron Man" e "Paranoid". Do mais recente álbum de Ozzy, Scream, rolou apenas a ótima "Let Me Hear You Scream".

O resto do show foi um desfile de hits e clássicos da carreira solo do cara, numa seleção que beirou a perfeição, feita para não deixar ninguém insatisfeito. O show já abriu com o hit oitentista "Bark at the Moon", e daí em diante houve uma sucessão de momentos empolgantes como "Mr.Crowley" (cuja introdução fez o Gigantinho parecer palco de uma imensa missa profana), "Road to Nowhere", "Shot in the Dark", "I Don't Want to Change the World", "Crazy Train" e "Mama, I'm Coming Home". Também deram as caras "I Don't Know" e "Suicide Solution", duas músicas que, na minha humilde opinião, poderiam ter sido substituídas por alguns outros sons bem superiores que constam da excelente discografia de Ozzy.

A organização do show, dessa vez, foi bem melhor do que no fatídico show do Iron Maiden em Porto Alegre em 2008, quando a Opinião Produtora hiperlotou a pista do Gigantinho, fazendo com que centenas de pessoas tivessem que sair no meio do show para não desmaiarem e obrigando os mais valentes a se submeterem a um intenso e contínuo sofrimento para ver o show. Dessa vez, a pista estava visivelmente mais organizada e civilizada - lotada, é claro, mas dentro de limites humanamente aceitáveis. Louvável também a pontualidade, na medida em que Ozzy subiu ao palco exatamente às 21 horas, conforme previsto.

Infelizmente, a Opinião deixou novamente a desejar num aspecto muito importante: a organização do evento claramente vendeu mais ingressos de cadeira do que o número de assentos efetivamente disponíveis. Resultado: as pessoas que chegaram por último não encontraram mais cadeiras e tiveram que assistir o show de pé nas escadarias. Além de isso ser um completo desaforo para quem paga R$ 200,00 por um ingresso, é também uma falta de consideração com todos os outros espectadores das cadeiras, que ficaram ser ter como transitar pelo estádio, na medida em que as escadarias estavam completamente abarrotadas de "sem-cadeiras".

Caros amigos da Opinião Produtora: será que custa tanto assim reduzirem um pouquinho o número de ingressos vendidos, para garantir que as pessoas que marcham em duzentos mangos por uma cadeira não sejam ludibriadas e não se vejam obrigadas a verem o show de pé nas escadas, como se estivessem ali de favor? Será que vale à pena tratar o público como gado para vender algumas dezenas de ingressos a mais num show com um público de quinze MIL pessoas?

Quanto à banda de Ozzy, não há nada a dizer além de elogios rasgados. O novo guitarrista Gus G é um monstro no instrumento, o baixista Blasko já matava a pau na banda de Rob Zombie e dispensa maiores apresentações e o baterista Tommy Clufetos é um verdadeiro animal, que desce uma lenha descomunal na sua pobre bateria, fazendo o instrumento ser sentido na caixa toráxica de quem assiste o show. Quem menos aparece na banda é o discreto tecladista Adam Wakeman, que no entanto também tem seu momento na épica introdução de "Mr.Crowley".

Um momento impagável, ocorrido logo no começo do show, se deu quando alguém atirou no palco uma bandeira do Grêmio. Ozzy agarrou a bandeira e se enrolou nela, para deleite dos tricolores presentes e para desgosto absoluto dos colorados, donos do estádio (e que estavam jogando ali do lado, naquele exato momento). Qualquer outro artista do mundo teria sofrido severas vaias de pelo menos metade dos presentes, mas ninguém levantou nem um "ai" contra Ozzy. Só mesmo uma unanimidade absoluta como ele poderia se dar ao luxo de subir no palco do Gigantinho e estender uma bandeira do Grêmio, diante de quinze mil pessoas, sem sofrer qualquer tipo de reação negativa dos presentes.

Ozzy, por fim, é mais do que um "músico": é uma lenda, uma entidade, algo que já está acima de críticas e acima do bem e do mal. Ainda que ele estivesse virado num caco humano, ainda que ele mal conseguisse cantar meia dúzia de músicas, ainda que ele estivesse gagá, AINDA ASSIM seria justificável vê-lo apenas para ser testemunha ocular de uma lenda do rock e de um dos pais fundadores do heavy metal. Mas a realidade é muito melhor do que isso: aos 62 anos, Ozzy está com a voz em perfeitas condições e segue em condições de fazer um show tão bom quanto em qualquer outro momento de sua longa carreira, para alegria e emoção de seus fãs. O público mais jovem talvez ache estranho aqueles "passinhos de vovó" característicos das caminhadas de Ozzy pelo palco, imaginando que isso é um sinal da velhice dele, mas a verdade é que a postura de palco e a expressão corporal do cantor não mudou muito em relação ao que ele fazia há vinte ou trinta anos atrás. A performance de palco de Ozzy pode ser meio caricata e desajeitada, mas isso não é "sinal de velhice": isso É Ozzy ao vivo, como qualquer filmagem dos anos 80 ou 90 pode comprovar para além de qualquer dúvida.

Enfim, volto do show do Ozzy de alma lavada. Além do ótimo espetáculo e da perfeita execução ao vivo de uma dezena e meia de clássicos do heavy metal, ver Ozzy ao vivo é uma experiência que emociona qualquer fã do gênero. Ver uma lenda (que já fazia história antes de eu nascer!) se materializando em carne e osso na sua frente não é coisa que acontece todo dia.

domingo, 27 de março de 2011

Best of - TWITTER do Caveira (16/03 a 27/03/2011)

* "Procurado de Minas Gerais é capturado em Nova Tramandaí". Uau, mas que MEGA fail!

* Informe especial de emergência: Terremoto no Japão, catástrofe nuclear oculta http://t.co/TDESKFj Tradução de @O_Caveira p/ @diarioliberdade (via @luckaz)

* Acabo de ver uma cena de um episódio de Smallville que dá uma alfinetada cômica na Fox News hehehe, muito boa.

* "Born to Die in Berlin" é uma composição do Dee Dee Ramone com a Nina Hagen. Tá explicado porque a música é tão afudê!

* Provável setlist do show do Ozzy: http://tinyurl.com/4zwzrho

* "Casas Bahia, só amanhã, toda a loja sem entrada". Ué, como é que as pessoas vão fazer pra entrar na loja, então? #nuh!

* "Aurora da Odisséia"? Fala sério, isso é uma operação militar ou um jogo da série Castlevania?

* Segundo a Globo, Obama vai visitar uma escola no RJ onde as crianças não sabem o que ele faz. Atualmente, o eleitorado dele também não sabe.

* AREA 51, um ótimo first person shooter de 2005, virou freeware! Baixe aqui: http://tinyurl.com/4s2php De nada! :)

* Obama diz que volta ao Brasil em 2016. Sinceramente, do jeito que a coisa tá, acho que já em 2013 ele nem será mais presidente ...

* Segundo dia da intervenção militar na Líbia. Os franceses acabam de anunciar a sua rendição! #hohoho

* Intervenção militar na Líbia: o americano atacou, o líbio explodiu, o italiano cantou e o francês ... fugiu! #hohoho

* "Homem tem braço decepado durante briga em Morro Reuter". Meldels, com quem esse cara brigou, com o SUB-ZERO?!?

* ALICE COOPER em Porto Alegre em maio!!!! Ahhhhhhhhhh, vou ganhar um INFARTO!!!! =:D

* A partir de agora, o show do Alice Cooper passa a ser a grande meta da minha vida para 2011.

* Me apavorei: em 2011, AINDA tem gente que encaminha o e-mail da menininha doente que vai receber doações da UOL por cada e-mail repassado!

* ONU: 800 milhões de pessoas não dispõem de água para beber http://t.co/qAmQQEb Tradução de Diário Liberdade (via @luckaz)

* Ah, se tivesse isso na minha adolescência: uma rádio online que só toca IRON MAIDEN 24 horas por dia! http://www.dyb.fm

* Não gosto do Gilmar Mendes enquanto pessoa, mas ele é um constitucionalista da melhor qualidade e está certíssimo quanto ao Ficha Limpa.

* Deep Purple toma chá com o presidente da Rússia, fã da banda: http://tinyurl.com/4qrbk6u

* "Duke Nukem Forever delayed". HAHAHAHA, eu estou lendo isso há uns 12 anos ...

* Krugman: estadunidenses "não acreditam que também há internet e antibióticos na Europa" http://va.mu/BBw

* "The X Factor": o álbum mais injustiçado do Iron Maiden? http://goo.gl/fb/8Ot2H

* Com saudade dos minigames da Tectoy? http://t.co/gaC0MDb

* Pra atingir público geek, Asus faz uma patética sátira de Big Bang Theory em sua propaganda: http://youtu.be/LBmq2knUL_Y (via @grison7)

* O que é, o que é: voa, tem visão de raios-X e superaudição? http://va.mu/BFL (via @ALuizCosta)

* Divertido vídeo-review de ULTIMA UNDERWORLD, feito pelo Spoony: http://spoonyexperiment.com/2011/03/25/ultima-underworld-the-stygian-abyss/

* Leonard Nimoy (que hoje faz 80 anos) cantando Johnny Cash! Ganhei o meu dia: http://www.youtube.com/watch?v=P9NSpAdGxgU

* O que eu mais admiro na Apple é como eles conseguem convencer as pessoas de que elas precisam ter um Iphone e TAMBÉM um Ipad! É como se a Nestlé convencesse as pessoas de que elas precisam ter em casa o Nescafé 300g e o Nescafe 50g ao mesmo tempo!

* FINALMENTE vi Machete. Todo fã de trasheiras sanguinolentas precisa ter esse na coleção. Robert Rodriguez é o cara!

* Alice Cooper: dinheiro, café, golfe e Led Zeppelin! http://whiplash.net/materias/entrevistas/125369-alicecooper.html

sexta-feira, 25 de março de 2011

segunda-feira, 21 de março de 2011

O Caveira recomenda: LOST BOYS - THE THIRST (2010)


Acabo de ver LOST BOYS - THE THIRST, o terceiro filme da série iniciada pelo cult movie oitentista Lost Boys, de 1987, dirigido por Joel Schumacher.

"Série"? Bem, talvez seja um exagero chamar esses três filmes de "série". A verdade é que The Lost Boys foi um sucesso comercial na época e se tornou um clássico com o passar dos anos, mas vinte anos se passaram sem que nenhuma continuação fosse produzida. E de repente, do nada, em 2008 surge Lost Boys - The Tribe.


The Tribe nem chegou a ser lançado nos cinemas, foi direto para DVD. Mas, surpreendentemente, ele se converteu no DVD mais vendido da Warner em 2008 e pagou seu custo de produção apenas nas primeiras três semanas do lançamento.

Verdade seja dita: quando The Tribe saiu, ninguém esperava uma grande continuação depois de 21 anos do lançamento do filme original. Mas, para espanto geral, The Tribe era bastante divertido e Corey Feldman - quase quarentão - segurava as pontas numa boa voltando à pele do caçador de vampiros Edgar Frog, apesar de sua invencível canastrice.


Com o sucesso de The Tribe, a Warner deu o sinal verde para mais uma continuação lançada diretamente em DVD: Lost Boys - The Thirst, que saiu em 2010. E devo confessar que, dessa vez, eu não esperava mais realmente NADA do filme. A meu ver, já tinha sido impressionante o fato de que tinham conseguido criar UMA continuação tardia razoável (embora, é claro, sem comparação com o filme original). Uma segunda continuação, dois anos depois, parecia um sinal claro de que uma imensa bomba estava para surgir.


No entanto, mais uma vez, Edgar Frog me surpreendeu. Este novo The Thirst, longe de ser uma obra-prima, consegue se segurar numa boa e - surpresa - é até MELHOR do que o  anterior, principalmente para os fãs do icônico filme original (e eu não consigo nem pensar num motivo para você assistir uma continuação de The Lost Boys se você não é fã do filme original, não é mesmo?).

Não me entendam mal: tudo o que você poderia esperar de ruim em um filme barato de vampiros feito em 2011 está lá - o roteiro furadíssimo, as gatas de peitos de fora, os vampirões transados, saradões e com visual fashion, as festas regadas à música eletrônica, a mocinha gostosona (a modelo sul-africana  Tanit Phoenix) que suplica ajuda ao herói, a reviravolta vagabunda nos minutos finas do filme e, como não poderia deixar de ser, as interpretações constrangedoras, que vão do medíocre ao risível. Corey Feldman, então, parece ter desistido de vez de atuar. Sua performance mais parece uma mistura de Charlie Sheen com o Kurt Russel de "Fuga de Nova York", se é que dá pra imaginar uma coisa dessas. Pra não falar do cabelo dele ... não, prometo que não vou falar do cabelo dele nesse filme. PROMETO!


Mas, a despeito dessas falhas previsíveis, o que torna Lost Boys - The Thirst legal são os seus vários aspectos positivos: a produção extremamente competente, a direção ágil e eficiente, as alfinetadas na atual moda dos livros com "vampiros sensíveis" e o clima assumido e permanente de produção que não se leva a sério (em certo momento, os personagens chegam a implicitamente ironizar a própria ruindade dos diálogos).


Mas, acima de tudo, The Thirst acerta na reverência com que homenageia o filme original de 1987 - inclusive com diversos flashbacks mostrando cenas da saudosa película oitentista. Também rolam homenagens explícitas ao ator Corey Haim, falecido em 2010, que estrelou o primeiro The Lost Boys ao lado de Corey Feldman e Jamison Newlander (os únicos atores do filme original que dão as caras em The Thirst).


Enfim, o único motivo racional para se fazer continuações de um filme irretocável como The Lost Boys , depois de mais de vinte anos, é evidentemente homenagear o material original e ajudar os fãs do velho filme a matarem um pouco a saudade daquele universo. The Tribe foi um passo competente nesse sentido, mas The Thirst supera o anterior e, dentro de sua absoluta falta de pretensões, garante o seu lugarzinho no coração dos fãs do filme original de 1987.  
.
.


.
.
    AHHHHHH!!! Mas que PORRA de cabelo é esse?!? Você é o que, um DEMENTE?!?

sexta-feira, 18 de março de 2011

Best of - Tweeter do CAVEIRA (07/03 a 15/03/2011)


* "Sessão Espírita", mais um pequeno conto de horror lá no Recanto das Letras: http://recantodasletras.uol.com.br/contosdeterror/2832890

* Faz uns 10 anos que eu tinha curiosidade de ver "Inverno de Sangue em Veneza". Achei fraquinho, não entendo o rebuliço em torno desse filme!

* Núcleo Jurídico: Direito, política e atualidades. http://nucleojuridico.blogspot.com/

* Após criticar tratamento a Bradley Manning, porta-voz de Hillary renuncia ao cargo no governo http://va.mu/Aoo Governo Obama cai aos pedaços

* O clima político pegando fogo em Wisconsin, mas na mídia brasileira praticamente não sai nada! http://tinyurl.com/6e5nnmf

* "Motorista atropela ciclistas e foge na zona norte de Porto Alegre". Tá, o que é isso, virou esporte agora?

* Segunda-feira: uma selvagem e árida terra de ninguém.

* O gordinho ZANGIEF é o meu mais novo herói: http://www.videolog.tv/video?633494

quinta-feira, 17 de março de 2011

domingo, 13 de março de 2011

O Caveira recomenda: A NOITE DAS BRINCADEIRAS MORTAIS (1986)


Sugestão de filminho legal de terrãr: A Noite das Brincadeiras Mortais (April Fool's Day), um slasher movie de 1986 dirigido por Fred Walton e que tem no elenco um bando de ilustres desconhecidos, sendo que o menos desconhecido é o Thomas F. Wilson (que por essa mesma época estava ficando famosinho depois de interpretar o célebre vilão Biff Tanen no megaclássico oitentista De Volta Para o Futuro).


Na trama, um bando de adolescentes retardados, caricatos e estereotipados viaja para passar um fim de semana na pequena ilha particular de uma amiga do pessoal. Um a um, os infelizes vão sendo assassinados. Tudo parece saído de um gerador automático de slasher movies dos anos 80, mas o pior de tudo é que o filme realmente acaba surpreendendo um pouco no final e não é tão óbvio quanto parece no começo. Tá, tá, dá até pra dizer que o desfecho é inesperado e surpreendente. 


Não vou contar mais nada para não resvalar em spoilers. O filminho vale à pena, especialmente para os doentes por um terrorzinho oitentista (ou de qualquer outra década também). Só não espere encontrar o filme nas locadoras. Esse filme não era comum de ser encontrado nem nos tempos do VHS, e isso não mudou nada com o advento do DVD. Procure o filme para download no Google que você ganha mais!


Ah, e antes que algum afobado me acuse de "incentivar a pirataria", gostaria de lembrar que nenhum de nós tem culpa de vivermos no ano de 2011, termos à disposição toda a tecnologia necessária para que existissem locadoras virtuais com acervos quase ilimitados e que, apesar disso tudo, essa indústria acomodada e retrógrada continue se recusando a mexer a bunda para se modernizar, tornando o download informal a única alternativa para quem deseja ver filmes antigos e/ou menos óbvios.


quarta-feira, 9 de março de 2011

Best of - TWITTER do Caveira (28/02 a 06/03/2011)

 * O Caveira Diário está em novo endereço, reformulado e melhor. Edições novas agora sempre às 15h! http://paper.li/O_Caveira/jornal

* A Cripta do Caveira fechou fevereiro com 2.236 visitas no mês. Valeu, queridos corpos e almas que frequentam a velha cripta frequentemente!

* E você que achava que não existiam bons motivos para se fazer terapia: http://www.espacovital.com.br/noticia_ler.php?id=22494

* Escândalo de manipulação de dados sobre segurança pública em SP. Mas olha só como é que a coisa sai na Falha ... http://tinyurl.com/4zj95tx

* Essas coisas da vida que não entendo: pra que um remake de ROBOCOP? Por que refazer um filme perfeito que continua atual? É esse o plano de Hollywood? Refazer todos os filmes lançados nos anos 80, para sempre? É tão difícil criar histórias novas e boas?

* Prequel e sequência de Blade Runner a caminho?!? NÃÃÃÃÃÃÃÃÃOOOOO! PelamordiDeus, malditos, deixem o melhor filme de todos os tempos em PAZ!

* Acaba de sair o 100º vídeo do ANGRY VIDEOGAME NERD. Simplesmente épico! http://www.gametrailers.com/video/angry-video-screwattack/711094

* "Roberto Leal afirma ter psicografado música dos Mamonas". A banda continua compondo no além pra quê? Querem voltar a aparecer no Faustão?!?

* Sony lança o PSP no Brasil por R$ 969, para "ajustá-lo" ao novo preço de US$ 129 lá fora. Dólar a R$ 1,67 ... não, essa conta não fecha! Por mais pesada que seja a nossa absurda carga tributária, cobrar mais de QUATRO VEZES o preço da coisa lá fora não tem explicação.

* Bah, imperdível!!! HELLOWEEN + STRATOVARIUS numa mesma noite, em Porto Alegre, em 03/05! A noite mais power metal imaginável ... =:)

segunda-feira, 7 de março de 2011

O Vampiro Lupeski




Uma tirinha velha (acho que é de 2005), que eu resolvi colorir agora.

Sessão Espírita



Um novo conto de horror lá no Recanto das Letras:

http://recantodasletras.uol.com.br/contosdeterror/2832890

"O Caveira Diário" em novo endereço.


O Caveira Diário - o jornal que é muito mais jornal do que o jornal que você compra na banca de jornal - foi melhorado, reestruturado e reformulado. Além do conteúdo estar mais coeso e interessante, o endereço também mudou: http://paper.li/O_Caveira/jornal

O Caveira Diário é um jornal diário (dãã!) produzido automaticamente pelo sistema do site paper.li. O conteúdo do jornal eletrônico é todo produzido por 20 pessoas selecionadas entre aquelas que o perfil @O_Caveira segue no Twitter. O que mais rola no jornal são notícias propriamente ditas (cujas fontes principais são os twitters dos jornais Zero Hora e Correio do Povo), análises políticas e algumas nerdices esparsas, principalmente sobre videogames.

Além disso, O Caveira Diário é gratuito, não suja os dedos com tinta, não prejudica o meio-ambiente, não tem classificados, não pode ser furtado por aquele seu vizinho sem-vergonha, não tem seção de fofocas nem "coluna social", não tem horóscopo e não tem resumo de novelas. Dá até pra usá-lo como papel higiênico depois de ler, mas não recomendo, porque certamente o seu notebook vai ficar um nojo depois disso ...

Enfim, O Caveira Diário é um jormal que é muito mais jornal do que o jornal que você compra na banca de jornal!



sexta-feira, 4 de março de 2011

Feliz Carnaval ... com RAMONES!






























Vídeos Legais: LILY ALLEN - NOT FAIR




A música é legalzinha, mas esse vídeo é MUITO bom. Incrível como pegaram perfeitamente o espírito dos anos 70. Confesso que a estética da moda não era muito diferente disso quando eu era criança, o que só prova como eu estou ficando velho ...

quinta-feira, 3 de março de 2011

Álbuns recomendados: The Lonely Island - INCREDIBAD (2009)

A trupe humorística The Lonely Island faz um grande sucesso nos EUA, e esse primeiro álbum do grupo é um verdadeiro atestado da qualidade do trabalho dos caras. Álbuns metidos a engraçadinhos estão sempre no limite entre o divertido e o ridículo e entre o espirituoso e o cafona, mas o pessoal do Lonely Island apresenta, nesse Incredibad, uma impressionante mistura entre um dos melhores álbuns pop dos últimos anos e, ao mesmo tempo, uma das gravações mais divertidas que eu já ouvi na vida.



São 19 faixas ao todo, mas os destaques absolutos são as hilárias Jizz in My Pants (com claras referências ao pop estilo Justin Timberlake, sendo que o próprio chegou a participar do clipe da música), Sex Man (com participação especial do sempre ótimo Jack Black), Dick in a Box (música que chegou a ganhar um prêmio Emmy, e na qual Timberlake participou da composição e gravação), Dreamgirl (com sensacional participação de Norah Jones), a ótima Like a Boss, Boombox e a simplesmente inacreditável Natalie's Rap, uma faixa que basicamente se resume a quase três minutos através dos quais a pequena, amável e delicada atriz Natalie Portman diz que fuma maconha, afirma que durante a faculdade só bebeu, colou em testes e transou e manda os fãs chatos chuparem o pinto dela (!!!), e que ela irá f*** a garganta deles até eles cagarem nos sapatos dela (!?!?!).



Sério, é uma das coisas mais chocantes e absolutamente hilárias que ouvi em muito tempo, e é realmente incrível a coragem que a atriz teve de quebrar a sua imagem de "menina queridinha de Hollywood" para se juntar aos malucos do Lonely Island e cantar nessa que é, de longe, a música mais verbalmente agressiva do álbum. Só esse rap da Natalie Portman já tornaria Incredibad um disco de audição obrigatória. Não é comum ver um disco com uma combinação tão feliz de letras hilárias com pop pegajoso e funcional. Os caras do The Lonely Island mataram a pau com Incredibad, não deixe de conferir!



terça-feira, 1 de março de 2011

A Teoria de Lilith Sobre a Natureza do Medo




Mais um pequeno conto de horror do Caveira, o seu sempre-às-ordens anfitrião das trevas!